Normas ABNT

 As normas da ABNT são claras.


O mercado brasileiro de piscinas tem um histórico muito antigo com relação aos sistemas de filtração de que trata a norma NBR 10.339 da ABNT. Tradicionalmente são utilizados os chamados “filtros de areia”.

No entanto, foram e têm sido utilizados outros sistemas incluídos naquilo a norma da ABNTchama de “outros meios filtrantes”. Assim é que no início da década de 1960 chegou-se a utilizar “filtros de diatomita”, ainda encontrados no mercado norte americano, mas que não são mais utilizados em nosso mercado desde aquela época.

Mais recentemente, meados dos anos 90, surgiram no nosso mercado os chamados “filtros de cartucho”, importados inicialmente dos Estados Unidos, com grande capacidade de retenção de sólidos em suspensão.

A norma da ABNT admite o uso desses “outros meios filtrantes” desde que estejam consoantes o que dispõe seus capítulos 4.3 e 4.4.1. E uma dessas exigências é que tais sistemas filtrantes tenham capacidade de filtrar todo o volume da piscina no tempo determinado pela “Tabela – Tempo máximo de recirculação (horas)” a que faz menção o capítulo 4.1 da mencionada norma.

Além disso, há que se considerar que há ainda uma outra exigência na norma, prevista no capítulo 4.7.2.2 que torna obrigatório a instalação de ralo de fundo em todas as piscinas.

Surgiu agora no mercado brasileiro um novo sistema filtrante, que se convencionou chamar de “filtro saco”, equipamento esse cujas características se contrapõe ao disposto na norma NBR 10339. Isso porque tais equipamentos, que são instalados diretamente nas piscinas, dispõe de tubulação no conjunto de sucção e de recalque com bitolas incompatíveis com o que dispõe o capítulo 4.12 da norma.
 
Considere-se ainda a recomendação que os fabricantes de tal sistema fazem de que não se deve instalar ralo de fundo na piscina, conflitando com o que dispõe a norma NBR 10339.

Essa prática tem levado ao mercado informações incorretas, induzindo tanto os lojistas como os compradores de piscinas a erro de avaliação, que poderá representar séria ameaça à credibilidade de nosso mercado.

Por isso, é importante que cada fabricante de filtros faça constar em seu material promocional a informação de que seus produtos estão em consonância com o que dispõe a norma NBR 10339 da ABNT.